Fim da Experiência

27 11 2007

fim.jpg

Caros (as) alunos(as)!

Chegamos ao fim desta experiência com portfólios digitais. Espero que, pelo menos, tenha servido para vos despertar para uma nova forma de encararem a vossa aprendizagem  e a própria vida, onde vocês devem ter sempre  uma atitude activa, autónoma e responsável. Espero que sejam capazes de utilizar eficazmente os conhecimentos para ultrapassar obstáculos e aprender mais e mais. 

Têm ainda a semana para terminarem os trabalhos em atraso

Obrigado a todos, e desde já um bom e feliz Natal.





Problema Tabagismo

20 11 2007

homem-cchimbo.jpg

Este é o Nho António. Ele tem 67 anos. Nho António fuma cachimbo desde a sua juventude. Fumar cachimbo para Nho António é como se fosse uma tradição porque encontrou o hábito dentro de casa, os seus pais, avós e tios todos fumavam cachimbo. E ele fuma o cachimbo com prazer.  Só que recentemente passou mal e no hospital o médico disse-lhe que se continuava a fumar o cachimbo morreria dentro de um par de meses, de cancro de pulmão. Portanto se ele quiser viver mais alguns tempos terá que deixar de fumar cachimbo agora.   Nho António está pensativo: continuar a fumar cachimbo ou deixar de fumar de qualquer maneira ele vai morrer. Só que se continuar a fumar morre logo, e perde a oportunidade de levar a sua neta que tanto adora ao primeiro dia de aula. Se deixar de fumar pode viver por mais algum tempo, mas vir a morrer aborrecido e desgostoso sem o consolo do seu cachimbo.  Tenta ajudar Nho António a encontrar a melhor solução a adoptar. Para isso, responde as etapas de resolução de um problema. 

  1. De que problema se trata?
  2. O que se pretende obter com a resolução do problema?
  3. Quais são os vários aspectos do problema?
  4. Quais as alternativas de solução do problema?
  5. Quais as consequências de cada alternativa?
  6. Escolha da melhor alternativa do problema?





Visita de Estudo – Tenda El Shaddai

12 11 2007

O centro de reabilitação de toxicodependentes – Tenda El Shaddai – foi fundado em 14 de Junho de 1996 pelo angolano Teonório, que amavelmente todos tratam por Tio. Foi o primeiro centro de reabilitação a funcionar em Cabo Verde. Já com 11 anos de funcionamento, aparece agora mais um centro na Granja de São Filipe, Cidade da Praia, que veio ajudar na reabilitação dos toxicodependentes.   

El Shaddai significa Deus todo-poderoso. E é em Deus que os Internos do Centro encontram forças para lutarem contra a dependência das drogas e do álcool. É sobre as palavras de Deus que tentam edificar uma nova vida. Uma vida diferente daquele que tiveram e que ainda sentem o gosto amargo. Tentam, por tudo, não voltar à essa vida, mas por vezes caiam de novo na vida das dragas e da precariedade.  

Essa foi uma das estórias contadas por um dos Internos. Pensou estar reabilitado, deixou a Tenda e voltou à sociedade. Mas, como disse, a sociedade não estava para o receber… “quando voltei, se haviam portas que ainda estavam entreabertas pra mim essas também fecharam-se, como todas as outras que tinham sido fechadas para mim quando comecei a usar droga”.   

Os caminhos que levaram os Internos para a vida das drogas são quase parecidos. A maioria tem a ver com a falta de compreensão, atenção, carinho, apoio. O amor que não receberam levou-os a refugiar-se nas drogas. Um dos Internos exprimiu com sentimento o seu fracasso – “eu deixei-me levar pela droga porque sou uma pessoa muito sensível, as pessoas me ofendem com facilidade… a falta de atenção ou uma descriminação na minha família me ofendia profundamente… e como o meu espírito é sensível e fraco caía nas drogas.  

Outros motivos que apontaram por terem caído nas drogas foram influência de amigos, curiosidade, querer experimentar, falta de oportunidades. Essas estórias contadas na primeira pessoa obriga-nos, a todos, a compreender que a sociedade tem que sentir-se culpada por cada toxicodependente que estiver nas ruas. Isto porque talvez se os tivéssemos dispensado a atenção e o carinho devido não teriam motivos para se refugiarem nas drogas. 

Desses testemunhos os alunos devem tirar uma lição simples, mas que pode salvar a vida de muitas pessoas: é que, como disse a Professora Graça na altura da visita, devem pensar duas vezes quando pensam injuriar os colegas, ofende-las e fazer troça das suas fraquezas. Porque esses colegas também podem ser sensíveis e não ter força para lidar com essas ofensas e outras que podem estar a sofrer em casa, e este ser motivo suficiente para caírem nas drogas ou fazerem outro disparate qualquer na própria escola, que eu nem quero mencionar, mas que assistimos várias vezes na televisão e que nos deixa aterrorizados.   

Outra lição que devem tirar, e que foi vivamente recomendada pelos Internos, é que as drogas não levam a lugar nenhum. Aliás, como disse outro Interno, leva sim… “à prisão, ao hospital e ao cemitério”. Por isso, nós devemos encontrar estímulos para viver em nós próprios, mesmo quando não recebemos incentivos das outras pessoas, principalmente daquelas que gostamos muito. Cair nas drogas é escolher o caminho mais fácil, é aceitarmos a nossa derrota, o nosso fracasso. Devemos encontrar na autoestima, na vontade de viver e de vencer a força necessária para mostrarmos ao mundo que nós também somos especiais, nós também temos capacidade para fazer coisas bonitas e úteis para a sociedade. Existem formas saudáveis para expressarmos a alegria ou para defrontarmos com os nossos problemas sem necessidade de usar drogas. Se têm dificuldades em as encontrar, pelo menos lembram-se que El Shaddai pode ser de boa ajuda, e ajuda sempre os que precisam sem discriminar, como faz com os nossos bons amigos da Tenda.





Partilhando a Experiência com os Encarregados de Educação

31 10 2007




Fotos Aula FPS

31 10 2007




Actividade Tabagismo

29 10 2007

 Olá meninos e meninas! Depois de verem o vídeo… vamos ao trabalho.Como alunos e cidadãos responsáveis que são, vão contribuir para a luta contra o tabaco. A vossa tarefa consiste em elaborar um cartaz que servirá para sensibilizarem os colegas da escola sobre os malefícios do tabaco. Como uma actividade que vai contribuir para a vossa aprendizagem, vão depois comentar e reflectir sobre isso, usando o Blogfólio. Para saberem como vão realizar essa actividade consultam o guião da actividade alcoolismo e sigam as instruções, passo a passo.

Vocês estão indo muito bem! Força!





Problema Alcoolismo

23 10 2007

sem-titulo.jpg

Fonte: Imagem do curso Alcoolismo da DGAEA.

Caros e caras!

Para treinarem a mobilizar algumas competências como: conhecimento (da problemática do alcoolismo), relacionamento interpessoal e comunicação (saber como abordar a pessoa, ser solidário, ter vontade de ajudar, saber expor o problema, etc.),  reflexão (saber enquadrar o problema de alcoolismo naquele contexto, tomar uma decisão), autostima e autonomia – vocês vão resolver este pequeno problema:

A figura mostra a Família Trago. Uma família afectada pelo problema do álcool. Nho Trago gasta todo o dinheiro a beber, quando chega em casa bate na mulher e nos filhos. O filho mais velho, sufocado com a situação, pensa em sair de casa para viver na rua.  

Imagina que a família vive na tua vizinhança. A mulher do Nho Trago, que sabe que tu és estudante, foi pedir-te para falares com Nho Trago para ele deixar de beber. Como e o quê falarias  ao Nho Trago?

 E se fosses o(a) filho(a) deste casal, tomarias a decisão de sair de casa? Porquê? Que decisão tomarias?    Respondem a estas perguntas clicando em comentários.

Bom Trabalho!








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.